Qual a relação entre público e persona

Quem possui um negócio certamente já ouviu e leu sobre público-alvo. Para muitas pessoas, identificar o seu público-alvo é um dos passos mais importantes para garantir o sucesso do produto ou serviço que você oferta. A verdade, no entanto, é que este conceito aos poucos vem perdendo espaço para uma nova ideia que está se mostrando fundamental na criação de estratégias de marketing digital: a persona.

Em linhas gerais, podemos definir a persona como uma evolução do público-alvo que busca dar respostas inovadoras aos desafios impostos pela multiplicação da concorrência e da competição em ambiente digital. Vamos dar um exemplo fictício para explicar de maneira clara as diferenças entre público-alvo e persona.

Imagine uma empresa que trabalhe com entrega de refeições saudáveis. Ao definir seu público-alvo, ela descobrirá que ele é composto por homens e mulheres solteiros entre 20 e 45 anos que trabalham em edifícios comerciais do centro da cidade e que não têm tempo para preparar sua comida antes de sair de casa. Como é possível perceber, esse grupo de pessoas é muito vasto e tentar chegar a todas elas pode ser uma tarefa quase impossível dependendo do tamanho da empresa e da sua capacidade de produção.

É exatamente para isso que serve a criação da persona do seu negócio. No mesmo exemplo citado acima, os donos deste delivery iriam descobrir que, além das características do público-alvo, a persona, isto é, o cliente ideal, o arquétipo do consumidor daquele negócio se preocupa com o corpo, tem jornadas de trabalho de até 14 horas por dia, quer saber o cardápio da semana com antecedência e evitar embalagens plásticas por questões ambientais.

Ou seja, definir a persona do seu negócio vai lhe garantir um manancial muito maior de informações a respeito de quem de fato poderá se tornar o seu cliente e lhe reservar uma fatia de um mercado tão concorrido como é o de entrega de comida (ou qualquer outro que você esteja tentando conquistar).

E o que isso impacta na sua estratégia de marketing digital? Tudo. Porque marketing digital é, fundamentalmente, uma questão de direcionamento, é saber para quem anunciar o que, quando e de que maneira. Ao ter tantas informações na mão a respeito do seu público em potencial, você será capaz de preparar suas ações de modo muito mais preciso, alcançando e se comunicando diretamente com aquelas pessoas que têm maiores chances de serem fidelizadas pelo seu negócio.

Voltando ao nosso exemplo, a empresa de comidas saudáveis passaria a saber que precisará divulgar os cardápios da semana até, no máximo, o sábado anterior e possivelmente terá que viabilizar esquemas de pacote semanais ou mensais de refeições. Além disso, a companhia terá que trocar quentinhas de plástico por materiais biodegradáveis ou então dar desconto para clientes que devolvam suas embalagens na entrega seguinte.

Por fim, isso tudo deverá ser comunicado via internet sabendo-se exatamente quais as redes sociais mais usadas pela persona identificada e nos horários de lazer destes profissionais, que, como vimos, podem ser bastante reduzidos.

Esses dados não seriam descobertos apenas através do público-alvo, um conceito ultrapassado (mas ainda com algumas vantagens) que cede o lugar pouco a pouco a formas mais personalizadas e precisas de construir sua marca e se relacionar com o seu público, ou melhor, a sua persona.